Parafernalhas é tudo que você imagina, desde as coisas mais antigas até as novidades. Então, sou música, notícias, moda, viagens, emoções, pensamentos, cinema...... e até aquela receita básica.

12 de agosto de 2011

Miniaturas, Fotografia, Tilt-shift e O Olho de quem vê....



Multnomah Falls in Miniature from Andrew Curtis on Vimeo.



Já falei que adoro fotografia? Pois é...então vamos falar sobre fotografia...

Hoje, estava olhando algumas fotos e chamei minha amiga que se senta à mesa ao lado...Comecei a mostrar as fotos e parei nesta foto abaixo, fiquei contemplando... como estávamos vendo todas as fotos, ela virou e disse não gostei desta...
Continuei olhando para foto e sem tirar os olhos falei...
Imagine como deve ser gratificante para um fotógrafo pegar uma imagem dessa...O momento é único, e uma perfeição!
Mas o assunto nem é esse...rs apenas lembrei do que ocorreu hoje pela manhã.
                          Photo by Todd Ulmer


Tilt and Shift

Estilo de fotografia conhecida como “tilt and shift” refere-se ao uso de movimentos de câmara em câmaras de formato pequeno ou médio e por vezes refere-se ao uso de inclinação (tilt) para limitação da profundidade de campo, produzindo fotografias de objetos e cenários reais, mas que ficam parecidos com miniaturas e maquetes. A expressão também é usada quando a profundidade de campo é simulada por pós-produção digital. O nome deriva do uso de lentes tilt-shift que normalmente são empregues na produção óptica do mesmo efeito.
“Tilt-shift” de fato engloba dois tipos de movimento: rotação do plano óptico da objetiva em relação ao plano de filmagem, designado por tilt, e o movimento em paralelo da lente relativamente ao plano de imagem designado por shift.
O Tilt é usado para controlar a orientação do plano de focagem e assim à parte de imagem que aparece bem definida; é uma aplicação do princípio de Scheimpflug (princípio é uma regra geométrica que descreve a orientação do plano de foco de um sistema óptico ). Shift é usado para ajustar a posição do objeto na área de imagem sem mover a câmara para trás; é utilizado para evitar a convergência de linhas paralelas como, por exemplo, a fotografia de arranha-céus.
A primeira lente desenvolvida especialmente para produzir este efeito foi a Canon TS35mm f/2.8 S.S.C em 1973.
O efeito pode ser obtido através de edição no Photoshop ou alguns programas – cada vez mais fáceis de usar – disponível na Internet. O resultado é muito interessante e divertido.







Interessante?!


Você pode fugir dele ou se aproximar; ele pode ser grande ou pequeno; imponente ou sóbrio. Não importa. Tudo depende apenas de como você o vê.

P.S. Trecho do texto >>> “O OLHO DE QUEM VÊ”

Um comentário:

Vanessa disse...

OiÊÊÊ ... sou eu a " amiga ao lado" rs

Postar um comentário